Geoparks
| Inscrição na Newsletter

Aceito subscrever a newsletter de acordo com a politica de privacidade da Naturtejo.

A investigação nos Geoparques Mundiais da UNESCO

Porque escolher os Geoparques Mundiais da UNESCO em Portugal para fazer investigação?

 

O Geoparques Mundiais da UNESCO, pelas suas características e pelo valor do seu património, são verdadeiros laboratórios a “céu aberto”, onde cientistas, estudantes, professores e cidadãos podem contribuir para o aprofundamento do conhecimento do próprio território, investigando e produzindo conhecimento em várias áreas, como a Geologia, Biologia, Geografia, Climatologia, Ambiente, Sociedade, Paisagem, entre tantas outras.

- Consulte o Catálogo de Investigação Científica nos Geoparques Mundiais da UNESCO Portugueses

 

Os Geoparques dão Apoio à Investigação através da facilitação de contactos com Centros de Investigação, Instituições de Ensino e stakeholders locais, disponibilizam Visitas guiadas (em inglês), e ainda outros apoios, sujeitos a candidatura.

 

Contacte-nos para mais informações através de geral@naturtejo.com

 

Investigar no Geopark Naturtejo Mundial da UNESCO

O Geopark Naturtejo Mundial da UNESCO é um território com um Património Geológico de excepção, com relevante valor científico, educativo e estético, conjugados com aspectos ecológicos e histórico-culturais de forma integrada numa estratégia de desenvolvimento local sustentável.

No Geopark Naturtejo encontramos o Instituto Politécnico de Castelo Branco, uma instituição de ensino superior que celebra quarenta anos de existência, dotada de excelentes equipamentos e condições laboratoriais para a prática de um ensino e investigação avançados. Um território aberto ao mundo através de diversos protocolos académicos, mas centrado nas necessidades do território. Um geoparque com um longo historial de contributos para a Ciência mundial e nacional, de João Rodrigues “Amato Lusitano” e António Ribeiro Sanches aqui nascidos, ao “feudo” de Orlando Ribeiro. O Geopark Naturtejo é uma paisagem de oportunidades científicas que abraça quem quer ir mais longe.

 

 

Áreas de investigação no Geopark Naturtejo

Paleobiodiversidade

- Estratigrafia sequencial e Icnologia da Formação do Quartzito Armoricano

- Paleontologia do Ordovícico Médio-Silúrico Inferior

- Palinologia, paleobotânica e microvertebrados do Cenozóico dos Grupos da Beira Baixa e da Murracha

- Macro-, microvertebrados e palinologia dos terraços fluviais da Bacia hidrográfica do “Alto Tejo português”

Geomorfologia granítica

- Evolução gedinâmica do modelado granítico

- Geoquímica dos granitóides ordovícicos

Geoarqueologia

- Geoarqueologia de contextos megalíticos

- Geoarqueologia de contextos mineiros proto-históricos e romanos

- Cartografia 3D das grandes áreas mineiras romanas

- Modelação 3D de Arte Rupestre

- Geoquímica e análise genómica da proveniência de materiais arqueológicos

Exploração dos recursos geológicos

- Impactes socioeconómicos e ambientais resultantes da actividade extractiva e da construção de grandes projectos de energias renováveis

Educação para o Desenvolvimento Sustentável

- Desenvolvimento de ferramentas educativas interactivas e autónomas para alunos e professores

- Estratégias de ensino não-formal da evolução da Paisagem em condições extremas

Geoconservação e Geoturismo

- Projectos de classificação de geomonumentos

- Estratégias de valorização de geomonumentos e de outros sítios de relevância geológica e mineira

- Estratégias de activação de produtos geoturísticos

Hidrogeologia e recursos hídricos subterrâneos

- Património hidrogeológico

- Águas subterrâneas e alterações climáticas

Geocronologia da evolução do relevo

- Datação OSL de terraços fluviais

- Nuclídeos cosmogénicos: datas e taxas de alteração da superfície terrestre

Colaborações na investigação

DISTAV, University of Genova
 

Testemunhos

Pedro Nuno Silva

Professor Adjunto Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Castelo Branco, Membro integrado da Unidade de Investigação em Serviços, Aplicações e Conteúdos Digitais (DiSAC) IPCB

“As Unidade Curriculares de Projecto têm por finalidade aplicar os conhecimentos adquiridos pelos alunos ao longo dos anos de duração do curso. Sempre que possível, estes projectos finais, deverão ser sugeridos por empresas ou instituições que já trabalhem e/ou que pretendam implementar soluções envolvendo Sistemas e Tecnologias Informáticas. Encontrei no Geopark Naturtejo o parceiro para o desenvolvimento de vários projectos, quer de alunos da Licenciaturas em Engª Informática, da Licenciatura em Tecnologias da Informação e Multimédia e do Mestrado em Desenvolvimento de Software e Sistemas Interactivos, que permitiram aos alunos articular a teoria com a prática em contexto real. Encontrei flexibilidade, rigor científico, demonstração da constante preocupação de ajuda, esclarecimento, que contribuíram para o empenho e motivação dos alunos ao longo do desenvolvimento dos projectos. A minha experiência com o Geopark Naturtejo tem sido excelente e surpreendente, pois oferece um trabalho científico com foco específico em Multimédia e Sistemas de Informação, além de oferecer diversas oportunidades de divulgação quer em congressos, publicações, seminários e palestras da mais alta qualidade. Recomendo e agradeço fortemente o trabalho desenvolvido nesta parceria o e os projectos de excelência que temos conseguido fazer.”


Pedro Proença e Cunha

Professor Catedrático de Geologia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente

“Uma interpretação da evolução da paisagem, dos climas, da tectónica e da ocupação humana primitiva na área do Geopark Naturtejo, onde tenho efectuado estudos da Estratigrafia e Sedimentologia do Cenozóico, bem como de Geomorfologia, ao longo de quase 40 anos. Estive ligado à classificação das Portas de Ródão como Monumento Natural. Nos últimos anos, a investigação científica tem tido mais enfoque nos registos sedimentares e geomorfológicos do rio Tejo datáveis dos últimos cerca de 4 milhões de anos, permitindo uma interpretação da evolução da paisagem, dos climas, da tectónica e da ocupação humana primitiva.”


Aram Bayet-Goll

Assistant Professor, Institute for Advanced Studies in Basic Sciences (IASBS), Iran

“Since my arrival to the Institute for Advanced Studies in Basic Sciences (IASBS), Zanjan, Iran, I have been involved in a number of ichnologic projects with Carlos Neto De Carvalho from the Geological Survey of Idanha-a-Nova, Naturtejo UNESCO Global Geopark, Portugal. In Portugal, various geological zones such as the Central Iberian Zone and the South Portuguese Zone with geological heritage of international significance have a wide potential for research in various fields of geology. For the past 7 years, me and C. N. De Carvalho were working on a number of projects that involved applications of ichnology in facies analysis and sequence stratigraphy, focusing on areas of Iran and Portugal. We worked on a variety of projects, quite diverse at first sight, but all them providing us different perspectives and expanding our understanding of trace fossils through geologic time and across different environmental settings. Due to the high potential of research issues in the Geoparks in Portugal, we are currently planning to continue our research on different ichnologic projects, primarily dealing with shallow-marine ichnofaunas through the Mesozoic and Cenozoic, in the Geoparks in Portugal. The sedimentary successions in these Geoparks are poorly understood by means of ichnology, facies analysis and sequence stratigraphy.

During my fieldwork in Naturtejo UNESCO Global Geopark, Idanha-a-Nova, I became impressed by sites of archaeological, cultural and historical significance. My feeling this geopark is that they have tried to explore, develop and celebrate the links between the geological heritage and all other aspects of the area’s natural, cultural and intangible heritages, and they have been very successful. The majority of sites present on the Geoparque Naturtejo and also the west coast of Portugal (my last field in Jurassic successions) have a wide potential for research. A lot of material elaborated or collected in former years is waiting for publications in collaboration with C. N. De Carvalho.”


Sofia Pereira

Investigadora do Centro de Geociências da Universidade de Coimbra

“O intuito e objectivos da investigação académica geológica são muito distintos dos da divulgação da geologia. Frequentemente, aquilo que geologicamente enche os olhos do cidadão comum tem reduzido interesse académico e o que enche os olhos do geólogo tem limitada atracção geoturística. Mas ambas vertentes dependem uma da outra e é nesta dependência que reside a importância da colaboração entre os investigadores e os geoparques. Cooperar com o Naturtejo UGGp tem permitido exponencializar os ganhos para ambas partes: coisas que eu ignoraria enquanto investigadora são agora incorporadas pelo interesse que podem ter para o geoparque e, de igual modo, coisas que passariam despercebidas pelo filtro do interesse geopatrimonial são agora reveladas através da investigação científica. No final, todos ganhamos: eu enquanto investigadora, o Geopark Naturtejo enquanto instituição, a ciência, o público e a região.”


João Caninas

Coordenador Geral do Campo Arqueológico de Proença-a-Nova, Membro da Associação de Estudos do Alto Tejo, do CHAIA – Universidade de Évora e de EMERITA Empresa Portuguesa de Arqueologia.

“O Geopark Naturtejo foi como se diz em linguagem popular “uma lufada de ar fresco” no panorama da valorização do nosso património ambiental e uma simultânea promoção turística da actual sub-região da Beira Baixa numa escala internacional nunca antes atingida, dada a sua integração no seio da UNESCO. Por outro lado, este primeiro geoparque português contribuiu para colocar na agenda política, social e económica um conjunto de valores de inegável importância, e diria mesmo transcendência, dos geomonumentos às paisagens humanizadas, ao património geomineiro e em geral ao património arqueológico e outros; à força motriz deste projecto, o geólogo Carlos Neto de Carvalho, e às autarquias que o acolheram é devido um sincero louvor.

Nesta mesma região, que do ponto de vista político-administrativo podemos designar como Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa, temos vindo a pôr em prática um outro projecto de estudo, valorização e internacionalização do património arqueológico, que se pretende inovador, o Campo Arqueológico de Proença-a-Nova (CAPN), que resultou de uma feliz parceria entre uma autarquia, o Município de Proença-a-Nova, e uma organização não-governamental de património cultural e ambiente, a Associação de Estudos do Alto Tejo.

Desde o primeiro momento, já lá vão sete anos, o CAPN procurou ter presente o Naturtejo UGGp no seu programa de actividades, solicitando o apoio da equipa técnica do geoparque tanto na investigação como na divulgação da geodiversidade regional junto dos participantes no CAPN, com inegável êxito.”


Francisco Henriques

Associação de Estudos do Alto Tejo

“A qualidade das organizações depende, essencialmente, da qualidade dos seus quadros e das suas políticas. O Geopark Naturtejo é um exemplo extraordinário do que se afirmou. Desde a sua implementação que soube dialogar, articular e valorizar os vários actores sociais da região recrutando-os para uma causa comum. Foi às escolas para formar e informar, às autarquias para valorizar o seu território, às associações proporcionando apoio científico, como o fez, por exemplo, com a Associação de Estudos do Alto Tejo. A sua acção contribuiu para o conhecimento minucioso deste vasto espaço interior e não só em matéria de geologia. Destaca-se a disponibilidade dos seus quadros em prontamente responder a um projecto, ou a uma simples dúvida e através da sua produção científica abriu a região ao mundo, dando continuidade e carácter duradouro ao trabalho de outros investigadores.

Em suma, o Geopark Naturtejo pela sua criatividade, conhecimento, dinamismo, disponibilidade, capacidade de promoção foi uma enorme mais-valia para o território onde intervém.


Martim Chichorro

Professor Assistente, Investigador do GeoBioTec - Grupo de Investigação em Bacias Sedimentares e Paleontologia do Departamento de Ciências da Terra da Faculdade de Ciências e tecnologia da Universidade Nova de Lisboa

“O projecto que desenvolvo com o Geopark Naturtejo visa contribuir para o conhecimento científico da natureza da Crosta Ibérica e sua evolução. O que buscamos ali são as impressões (tectónicas-magmáticas e crono-estratigráficas) gravadas nas rochas que conferem singularidade ao terreno onde se inserem, isto é, à Zona Centro-Ibérica. A parceria com o Geopark Naturtejo permite-nos aceder a objectos geológicos da região que são testemunhos da história geológica desenvolvida durante a construção do supercontinente Gondwana, no final do Neoproterozóico, e durante a sua evolução posterior em abertura (“rifting”) e divergência (“drifting”), no período Câmbrico-Ordovícico.

O lado mais motivador desta cooperação, é a convicção de que os benefícios daqui resultantes são repartidos em igual proporção pela Ciência e pela Sociedade. A Ciência relaciona-se com o desconhecido através do método científico e gera contributos de Conhecimento. Mas é o geoparque que diligencia para que o conhecimento se transforme em Sabedoria, que oferece esse saber à sociedade e à região e que garante a sua protecção e valorização à escala global.


Isabel Margarida Antunes

Professora Auxiliar do Departamento Ciências da Terra da Universidade do Minho

“O Geopark Naturtejo é um excelente exemplo de promoção da transmissão de conhecimentos técnico-científicos, com valores promotores de uma cidadania mais responsável na região. As várias acções desenvolvidas pelo Geopark Naturtejo mostram o envolvimento de pessoal especializado com uma forte e sólida ligação à comunidade e administração local. A minha colaboração com o Geopark Naturtejo, ao longo dos últimos 10 anos, tem passado por trabalhos de investigação e divulgação científica, a nível local e internacional, bem como, através da participação de acções educativas de divulgação na região. Este envolvimento tem permitido um forte enriquecimento pessoal e profissional, tanto de valores científicos, como culturais e de promoção humana. “A transmissão de conhecimentos científicos para a comunidade local e nacional tem sido um excelente desafio, a nível nacional e Internacional, os geoparques constituem a “ponte de ligação” entre a comunidade e a ciência; através da criação de estratégias promotoras do ensino e divulgação das geociências.”


Andrea Baucon

Lecturer and Researcher at Department of Earth, Environmental and Life Sciences, University of Genova, Italy

My research experience at Naturtejo UGGp has been the game-changing event of my life. Coming to Idanha-a-Nova and immersing myself in palaeontological research has enriched not only my knowledge, but also my attitude towards science. Thanks to its unique geopalaeontological heritage, Naturtejo Geopark greatly widened my knowledge horizons. I never seen such beautiful trilobite burrows! At Naturtejo, I have learned how to conduct collaborative and independent scientific research. Sure, I did scientific research before coming to Portugal and thought that I understood the whole process but let me tell you, nothing can replace the real Naturtejo experience. Immersed in a landscape of rare beauty, I worked with wonderful people, learning not only concepts but also a method – how to do science. With the support of the scientific coordinator Carlos Neto de Carvalho, I was fortunate to have the opportunity to study trace fossils and bring palaeontological knowledge to the general public. The Naturtejo staff offered me not only careful supervision, but also high-responsibility works. This combination of supervised experience and individual responsibility forged my scientific soul. One of the most precious aspects of my Naturtejo experience was the possibility of developing my creativity at full range… I had the opportunity to realize my wildest research and outreach dreams there! The experience with Naturtejo has been so fruitful that collaboration continues today. I have had great humanistic time in Portugal too, such as going to the Monsanto and Vila Velha de Ródão villages, visiting art museums and spending great time at “esplanadas” with new friends. To prospective researchers, know that your research at Naturtejo can take you to all sorts of places and experiences – e.g. I developed exhibitions in Lisbon and in Greece, I attended congresses in Scotland and Germany. The Naturtejo experience will be likely to enhance your skills, expand your international research community and foster your scientific creativity.


Isabel Fernandes

Professora Auxiliar do Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Univ. de Lisboa

“O interesse turístico da aldeia de Monsanto reside em grande medida na fusão do maciço rochoso com as construções humanas e na estética dos blocos graníticos dispersos na paisagem. A investigação desenvolvida, que incluiu as vertentes de geologia, engenharia geográfica e engenharia civil, teve por objectivo avaliar a probabilidade de queda ou deslizamento dos blocos rochosos que possa comprometer a segurança das populações e dos visitantes. O inventário de todos os blocos de grande dimensão foi realizado em trabalho de campo e com recurso a drone, visando o registo das características geométricas e mecânicas dos blocos e a identificação do potencial de iniciação do movimento. Para os blocos que apresentavam perigosidade elevada, foi feita modelação para a definição da extensão das trajectórias, após iniciado o movimento. Esta cartografia de risco fornece os dados necessários ao desenvolvimento de medidas de mitigação.”

 


« Voltar

Geopark Naturtejo

Geopark Naturtejo © 2021 Todos os direitos reservados


Créditos Fotográficos:
Pedro Martins
Banco de Imagens do Geopark Naturtejo

Desenvolvido por citricweb.pt


Política de privacidade e cookies